Terça-feira, 22 de Julho de 2014

A Sina dos soldados da Paz

Toca o telefone que entoa

Veste-se num ápice aprumado

Vibra a sirene que soa

Corre o Bombeiro apressado

A viatura veloz até voa

Um capacete à pressa enfiado

Uma vez mais sem sobremesa

E o prato esperando na mesa

 

                        II

Não compreendo esta loucura

Esta vontade de ajudar

É a mais nobre postura

Dão tudo o que têm p’ra dar

Nem a família os segura

No aconchego de seu lar

Uma vez mais sem sobremesa

E o prato esperando na mesa

 

                        III

Os braços nunca baixar

Aos bombeiros honra se faça

Destemidos vamos lutar

Na bravura e na desgraça

Sempre prontos a ajudar

Á cem anos que isto se passa

Sem sobremesa uma vez mais

E os filhos esperando os pais.

 

publicado por Carlos Pereira às 21:42
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. ...

. O Moinho Velho

. Casa de pedra e barro rui...

. Mulher

. Só mente Abril

. Nenhures

. Cem anos a salvar vidas

. Rebeldia de amor

. Rescaldos

. Tentação

.arquivos

. Outubro 2016

. Março 2016

. Abril 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Julho 2014

. Abril 2008

. Março 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds