Sexta-feira, 20 de Março de 2015

Cem anos a salvar vidas

 

Opção tão grata por ti escolhida,

Difíceis momentos que passas na vida,

Aquela mãe que a filha adora,

Vinham da Cerdeira àquela hora.

 

Interrompe-se a ida, assim de repente,

Choque frontal que grande acidente,

Hirto e firme, o bombeiro implora,

Levem daqui, a criança que chora!

 

Na ambulância alguém a conduz,

Acabou a esperança, seu raio de luz,

Descolorida, a mãe que jaz morta,

Pobre menina, que a bombeira conforta.

 

Uma menina que a outra transporta,

Até tem nome que nos importa,

Na mente outro acidente que ocorreu,

Pensa na avó que atropelada morreu.

 

Desígnios da vida, que crueldade,

Estradas portuguesas, que mortandade,

Choram as duas que pobre imagem,

Perdeu-se outra mãe, acabou a viagem.

 

 

publicado por Carlos Pereira às 17:13
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. ...

. O Moinho Velho

. Casa de pedra e barro rui...

. Mulher

. Só mente Abril

. Nenhures

. Cem anos a salvar vidas

. Rebeldia de amor

. Rescaldos

. Tentação

.arquivos

. Outubro 2016

. Março 2016

. Abril 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Julho 2014

. Abril 2008

. Março 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds