Sexta-feira, 20 de Março de 2015

Rebeldia de amor

 

Quis amar mas não sabia,

Distinguir o que era amor,

Sofri muito e, quando te via,

O meu coração tremia,

Aumentando o meu pavor.

 

Não sabia o que dizer

Pois aquilo que eu sentia,

Já estás mesmo a ver,

Sentimento p'ra valer,

Algo que eu não conhecia.

 

Num largo olhar, num lampejo,

Teu coração me seduz,

É a ti que eu desejo,

Ao acordar eu te vejo,

Fonte repleta de luz.

 

Sentimento? Não, loucura!

Batalha ganha a perder.

Livre? Prisão que perdura!

Dor, ciúmes, que amargura,

Amar tanto e tanto querer!

 

Fito o céu, eu vejo o mar

Tu numa onda com um véu,

Está turvo o meu olhar,

De em ti sempre pensar,

Olho o mar eu vejo o céu!

 

Sou da noite e vivo nela,

De dia suspiro a sonhar,

Só te vejo a ti donzela,

Não me apagues essa vela,

Á noite quando acordar!

 

 

publicado por Carlos Pereira às 17:13
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. ...

. O Moinho Velho

. Casa de pedra e barro rui...

. Mulher

. Só mente Abril

. Nenhures

. Cem anos a salvar vidas

. Rebeldia de amor

. Rescaldos

. Tentação

.arquivos

. Outubro 2016

. Março 2016

. Abril 2015

. Março 2015

. Dezembro 2014

. Julho 2014

. Abril 2008

. Março 2008

blogs SAPO

.subscrever feeds